"A sociedade julga: A de 12 que pegou todo mundo, a de 14 que tem filho, a de 16 que nunca beijou e a de 18 que nunca transou. Decide ai sociedade, assim não dá."
- Desconhecido.       (via romeuemcrise)

(Fonte: derr0-tado, via u-m-a--sonhadora)

"Talvez esse seja o último texto clichê que eu escrevo. Sentado sobre a cama, escrevendo uma carta pra você com os olhos cheios de lágrimas. Penso e repenso sobre nós e o que já fomos. Como pudemos mudar tanto em relação a antes? Por que nada mais é igual? Por que tantas brigas e desentendimentos? Talvez a resposta seja o tempo, talvez precisemos de tempo. Mas eu não quero tempo. Eu quero nós, o agora. Se somos o culpado por essa mudança, temos que ser os responsáveis pela volta da felicidade e não é o tempo que vai ajudar nisso. Todo mundo fala que o tempo cura e que faz isso, faz aquilo. O tempo não faz nada. Ele só mostra o tempo que estamos perdendo sem estar ao lado da pessoa que amamos. E esse tempo longe de você é mais que uma tortura. Da vontade de abrir um buraco no peito e arrancar tudo aqui dentro de mim, principalmente, esse coração idiota. O que eu sinto por você não é amor, é mais que amor. É algo que não dá pra explicar. Me diz como como explicar algo que você sente por alguém e que não consegue ficar 24 horas sem falar com ela, se preocupa se está se cuidando, se alimentando e dormindo bem. O dia que eu achar uma definição exata sobre o que é isso, eu lhes digo. Eu disse que seria o último texto clichê, então não irá acabar por aqui. Bom, vamos falar um pouco de você agora. Parece engraçado, mas você é tudo aquilo que um dia eu pudesse imaginar estando com alguém, com esse jeitinho, manias e ciúmes. E eu sabia, desde aquele seu “bom dia” que eu poderia estar me arriscando em uma nova aventura de amor. E sabia também que não seria muito bom continuar assim, porque essa coisa de amar sempre me fodeu. Mas eu tentei, eu quis tentar, eu fiz de tudo e quando percebi, já estava completamente tomado pelo seu amor. Eu nunca senti um amor tão grande por você. Tinha dias que eu ficava tão triste e você vinha falar comigo e tudo se acalmava. Era como se as suas palavras fossem um abraço de conforto que eu tanto precisava naquele momento. A sua voz era aquela música que me acalmava só de ouvir. Seu sorriso era um forma de demonstrar que tudo na vida tem seus reparos e que um dia vamos voltar a sorrir. E foi isso que você me ensinou. Que tudo na vida devemos ter paciência, pois um dia algo de bom acontece. Você me ensinou como é amar alguém, que a confiança é a base de tudo em um relacionamento. Aprendi muito com as nossas brigas por besteiras que não levavam a lugar algum. Eu só tenho que agradecer por tudo que você fez por mim. Sobre as nossas músicas? Ah, isso é fácil. Temos quase os mesmos gostos musicais, porém, a nossa música sempre será nossa. Pode ser que daqui há 2 ou 3 anos não estejamos nos falando mais, espero que não, mas se acontecer, nunca vamos esquecer da nossa melhor música. Obrigado por todos os momentos que passei e espero que possamos passar mais tempo assim. Eu sempre vou te amar, nunca se esqueça que um dia fomos algo um ao lado do outro. Eu amo tudo em você, inclusive você."
- K. Shibahara.     (via inutil-pensamento)

(Fonte: romantizado, via inutil-pensamento)